quarta-feira, julho 11, 2007

RECUPERAÇÃO DE UMA MARGEM FLUVIAL II

Apresento-vos um vídeo que mostra a evolução da obra do post anterior, gravado no dia 28-04-2007, apenas 11 dias após a execução da hidrossementeira.

video

Outros vídeos:

- Execução de hidrossementeira

- Conclusão da estrutura em madeira e plantações


Brevemente colocarei mais dados acerca da evolução desta obra e posso-vos garantir que os resultados estão a ser extremamente positivos, por enquanto fiquem com esta fotografia.


Saudações verdes

Aldo Freitas

7 comentários:

Anónimo disse...

Olá,

Penso q seria interessante, Aldo, aprofundares a técnica de Hidrossementeira e quais as espécies utilizadas na mistura.

Por outro lado, apresentares, um mapa de quantidades e a estimativa orçamental, como parte constituinte de um projecto de execução.

Só apresentando resultados credíveis, levará os técnicos e entidades a querer experimentar a Engenharia Natural em obras por si adjudicadas!!!

Um abraço e venham mais novidades,
Vasco Rocha

Aldo Freitas disse...

Vasco,

acho que como bem sabes os custos de uma obra deste tipo podem variar bastante. O factor mais importante é precisamente o local onde irás fazer a obra. Um exemplo: se o terreno fosse pedregoso, eu obviamente não conseguiria cravar as estacas de madeira como o pude fazer ali. Se esse fosse o caso, teria de arranjar uma retroescavadora ou outro tipo de máquina para me limpar o terreno, e isso iria encarecer bastante a obra. Assim sendo, existem diversos factores que poderão aumentar ou diminuir o custo de uma obra. O preço por metro quadrado a que saiu esta Grade Viva poderá não ser o mesmo se construíres a mesma obra noutro local. Portanto, creio que esse factor orçamental não é o mais importante neste momento. Para além disso, depende onde compras a madeira, se compras plantas ou não... Enfim, uma série de factores que poderão oscilar bastante o preço de uma obra de eng.ª natural.

Em termos de quantidade de materiais, já te tinha dito que troncos usei, até te disse o diâmetro e o comprimento. Se pensares um pouco, e fazendo alguns cálculos conseguirás obter um número aproximado do material que gastei (área de 200 m2). Sabes tal como eu como construir uma grade viva e as quantidades de material necessário. Depois disso, se te informares do preço da madeira e do ferro conseguirás ter um preço aproximado por metro quadrado, que como já disse poderá variar bastante.

Em relação à hidrossementeira achei não ser necessário aprofundar a técnica, porque para além da estacaria viva, plantações e paliçadas, é das técnicas de eng.ª natural mais conhecidas em Portugal. Mas de toda a forma, posso fazer um post acerca disso.
A hidrossementeira desta obra levou uma mistura de espécies herbáceas, entre elas: festuca, lolium, trifolium, poa, etc.

E para finalizar, quero-te dizer que resultados credíveis em engenharia natural não estão de foram alguma relacionados com o preço da obra...O que é importante é o desenvolvimento da vegetação, o aprofundamento das raízes, a segurança e funcionalidade da estrutura de madeira. Esses sim, são os factores a analisar e não o custo da obra.
A preocupação com o custo de uma obra terá sempre de existir, mas para mim o mais importante são as preocupações ambientais e a vontade de inovar. Esses foram precisamente os factores que o Sr. Américo Gonçalves, proprietário do terreno, teve em conta, e devo louvá-lo por isso, tomara que mais pessoas tivessem a atitude dele. Imagina lá que ele até é uma pessoa que todos os dias lida com o betão, este senhor é empreiteiro de construção civil...

Espero que tenhas ficado esclarecido.

Abraço

Aldo Freitas

Anónimo disse...

Aldo,

Sei perfeitamente que os custos são variáveis, uma vez que cada espaço tem as suas especificidades e condicionantes.

Quando digo que se devem referir quais os materiais utilizados/quantidades e os preços, refiro-me à obra em questão e não de uma forma geral para a "Grade Viva" ou "Hidrossementeira".

Relativamente ao custo total da obra, discordo completamente da tua opinião, porque se deve provar que para além de ser + vantajosa em termos ambientais, é + económica a curto/médio prazo!!!!

Se fizeres um projecto p uma entidade como Câmara Municipal ou outra, e n tiveres em conta a estimativa orçamental, numa perspectiva de custo/benefício, por + ambientalmente sustentátel q seja a tua proposta, terás dificuldades em obteres resposta positiva para se avançar para a sua execução...dados os curtos orçamentos e a falta de abertura para os projectos de ENatural!!

Abraço,

Vasco Rocha

Aldo Freitas disse...

Sinceramente não compreendo a tua insistência em relação aos custos. Obviamente que por uma questão profissional não irei divulgar os custos da obra. Esta obra foi feita para um particular, há que respeitar a sua privacidade. Não tenho o direito de andar a divulgar na internet o custo da sua obra e nunca o faria.

Porém, posso-te garantir uma coisa: esta obra ficou cerca 1/3 mais barata que a construção de um muro em betão, para além de ter sido feita em 10 dias por 2 pessoas, enquanto que os trabalhos para um muro em betão levariam cerca de 20 dias efectuados por uma equipa de 7/8 pessoas. Isto mesmo me foi garantido pelo proprietário, que tal como referi no meu comentário anterior é empreiteiro de construção civil. Portanto, não duvido de uma única palavra do que me foi dito em relação aos custos.
Ponto final neste assunto.

Sei bem a importância de uma estimativa orçamental, até porque trabalho para uma câmara, onde felizmente estou a conseguir implementar projectos de engenharia natural. Aquilo que disse anteriormente é que não deveria ser o factor determinante, para mim existem outros mais importantes como referi anteriormente.

Aldo Freitas

Nuno Lopes disse...

Para saber o custo é preciso mesmo fazer o projecto! Dá trabalho e exige conhecimento. E também é certo que o primeiro sitio para onde o cliente olha é o total!!

Mas este blog é para divulgação da engenharia natural, por isso concentrem-se.

Patricia Borges disse...

Olá Aldo,
passo por aqui para te dar os parabéns pelo belo trabalhinho que fizes-te nessa margem.Desejo-te muito sucesso para os próximos projectos!
Beijinhos.
Patrícia Borges.
P.s.-mostrei estas imagens aos "Espanhois"...eles gustaram!:)

Anónimo disse...

Olá,
Estou para comprar um lote, e ao lado passa uma rede de água fluvial, existe algum problema para construir no local? Como posso saber se não vou ter problemas mais tarde?
Maria do rocio